facebook

Turistando por São Paulo

O que dizer de São Paulo? Para mim São Paulo é uma deliciosa contradição, onde ao mesmo tempo me diz muito e também consegue dizer pouco. Devo dizer que este foi o texto que mais enrolei para escrever e consequentemente para gravar, afinal de contas, nasci e vivi todos estes anos neste estado. Já morei em mais de oito cidades do estado de São Paulo, entre a capital, o interior e o litoral. E é sobre este estado que vou pincelar por aqui e tentar expor minha visão acerca do espaço/ Meu nome é Danny Truffi e este é o Podcast do portal We Go, um espaço de experiência compartilhada onde nesta primeira temporada temos contato um pouco sobre as barreiras que rompemos em nossas vidas! Ouça para que você possa romper as suas próprias barreiras, vem com a gente vai ser mais leve garantimos!

Desta forma, tenho um carinho especial por São Paulo, porém é difícil falar sobre as atrações de lugares tão familiares a mim! Digamos que escrever sobre os pontos turísticos daqui não é tão fácil, mas posso dizer que além de todas as suas belezas, é também um ótimo lugar de pouso para quem deseja viver do nomadismo digital e busca um local cosmopolita e também turístico como uma nova casa.

Precisei inverter minha linha de pensamento, pois todos sabemos que quando moramos em um determinado local fazemos um uso completamente diferente de lugares que vamos com o intuito único de passear e conhecer.

Sendo assim, para trazer aqui uma visão mais voltada aos interesses de quem não conhece o lugar e explanar minha experiência, tive que dar uma parada para pensar.

Visto que, quando morei na Ilhabela, ou em São Sebastião ou mesmo na Serra da Cantareira, ou São Paulo Capital, eu frequentava os locais de uma outra maneira, me relacionava com o espaço de uma forma menos exploratória e com curiosidade.
Nessa postagem em especial, trarei minha impressão de como é morar em São Paulo – Capital, mas abrangendo a Serra da Cantareira e também o litoral norte de São Paulo!

Será um apanhado bem informativo que ilustrará a mente de quem deseja conhecer a metrópole São Paulo, mas também seus dois grandes espectros: o lado mais ecológico da Serra e também o litoral, com as suas belas praias e vida pacata do interior.

Pesquisar e alugar pelo AirBnB é pura diversão

Com a nossa parada por estas bandas paulistas, acabei me inclinando a observar principalmente a capital paulista. E tive a oportunidade de ficar em São Paulo, em diferentes bairros durante esta temporada, tendo então a possibilidade de analisar a cidade sob um viés mais turístico.

O que posso dizer é que buscar por airbnb na capital, é algo totalmente prazeroso e divertido, tem de tudo para todos os gostos: tem casa, tem apartamento de vários quartos, tem Loft, Apart estúdio. Enfim um oceano de possibilidades.

Tivemos a oportunidade de ficar em airbnb ‘s diferentes, sendo um deles administrado pelo próprio anfitrião na pessoa física, e outros por empresas!

Nós particularmente gostamos muito do self check in e self checkout, como conhecemos as regras entendemos que a formalidade da apresentação do apartamento, em nosso caso não seja algo que priorizamos e preferimos. Desta forma a hospedagem por empresas acaba trazendo esta informalidade, porém alguns anfitriões também não fazem assim tanta questão disso e acabam permitindo que entremos e deixemos o imóvel sem grandes burocracias.

Algumas empresas que nos hospedamos são inclusive bem menos burocráticas do que as hospedagens de hotéis. Da última vez em São Paulo, nos hospedamos em um Loft de uma empresa especialmente muito bacana, vale o custo benefício. O Loft era extremamente funcional, com tudo que precisamos para o dia dia , com conforto de hotel, com a tranquilidade de uma casa, com mimos de higiene pessoal da granado e comidinhas e bebidinhas como agrado, enfim, se quiserem mais informações sobre esta empresa pode me solicitar, que passo os detalhes no privado.

Trabalho: prioridades para nômades digitais

Quem nos acompanha, sabe que administramos uma empresa remotamente, portanto em todos os lugares que paramos, estamos sempre trabalhando e priorizando lugares que nos tragam a possibilidade de trabalhar de forma confortável e nos ajude a trazer maior produtividade.

Digamos então, que São Paulo capital é o lugar perfeito para isso, afinal de contas, a internet é muito boa por lá e as possibilidades de trabalhar em diferentes lugares é quase infinita. Quando enjoamos da vista do apartamento, buscamos os lounges no próprio prédio, pois estes edifícios contemporâneos já trazem nas áreas comuns lugares que disponibilizam mesas e cadeiras em grandes salas ou ao ar livre sempre com tomadas próximas, sendo esta então uma das alternativas.

Na sequência temos as alternativas pagas que vão desde um cafés charmosos em lugares escondidos nos bairros de São Paulo, ou cafés das grandes redes como Frans Café e Starbucks, todos estes espalhados por quase toda a capital.

Além dos cafés, ainda sobre as opções pagas, obviamente temos os coworks de todo tipo e de todo preço, que varia desde os diferentões espalhados nos bairros até as grandes redes como We Work.

Enfim, para o trabalho remoto a Capital não deixa nada a desejar.

São Paulo: seria a capital do nomadismo digital?

Por aqui somos suspeitos de falar de São Paulo, pois somos amantes da capital. Sempre estamos em São Paulo, seja a trabalho ou por prazer e lazer. Falando especialmente de mim, sou apaixonada por esta cidade, e sempre que posso descubro novos lugares.

Sou encantada por exposições, então a distração é sempre certa no formato que eu gosto, além disso eu acho demais, a cidade que nunca dorme, o dia amanhece até que calmo e a noite parece que estamos em outro local de tanto que aparecem pessoas, luzes, barulhos e idas e vindas.
Longe de mim querer romantizar São Paulo, tenho todas as criticas já conhecidas por todos, tanto que sempre buscamos morar em locais alternativos. Moramos na Serra da Cantareira e também na Ilhabela, tendo São Paulo de nosso principal fio condutor da vida profissional.
Aliás, aproveito para deixar a dica por aqui! Moramos por sete anos na Serra da Cantareira, região mais próxima da zona norte de São Paulo. Um lugar lindo, com clima ameno, sempre 5 graus a menos que São Paulo e muito úmido, características que ficam presentes devido a mata atlântica ainda preservada que encontramos por lá! Quando moramos na Serra, o local era bem pouco explorado, porém atualmente temos bons restaurantes, e trilhas incríveis para se fazer naquelas bandas, vale a visita!

Voltando a parte de não romantizar a Capital paulista, devo retomar que, Ficamos dois anos sem ir até a capital por conta da Pandemia do COVID-19 e tivemos a surpresa de encontrar uma cidade com bem mais barracas e moradores de rua, fato que tem sido falado por todos os cantos e por muitas pessoas da Capital, verificamos também muitos estabelecimentos fechados. Tudo isto reflexo da pandemia que se instaurou no mundo. Porém vimos também coisas boas, muitos bairros limpos, com muitos novos estabelecimentos.

E, claro, com o olhar romantizado de turista, podendo fugir dos trânsitos e das filas, São Paulo é uma cidade encantadora.

Em 2021, uma rua de São Paulo foi eleita uma das mais descoladas do mundo, em uma lista feita pela revista Time Out. Para 2022, a capital paulista foi escolhida como um dos 50 destinos do mundo para ser visitado, segundo artigo da revista exame (Fonte Revista EXAME – https://exame.com/casual/turismo-sao-paulo-e-eleita-como-um-dos-50-melhores-destinos-de-2022/)

O litoral
Falando agora do litoral de São Paulo, posso dizer que conheço bem ambos os litorais tanto o sul como o norte. O litoral sul é um litoral com praias maiores, com mais pessoas e mais estabelecimentos. Por ter um acesso mais fácil e rápido da capital, o litoral sul é mais urbanizado do que o litoral norte, principalmente por ser já característico de todos os litorais suls, as praias são mais extensas e quase interligadas umas nas outras o que permite calçadões e ciclovias mais extensas, que percorrem quase que orla toda de fora a fora da cidade.

Diferentemente do litoral norte, onde encontramos praias menores e mais distantes umas das outras, de forma que a parte urbana da cidade fica mesmo mais voltada para o centro da cidade propriamente dito, tendo as praias distribuídas na serrinha que permeia extensão toda da cidade.

Ilhabela

Agora falando especificamente de Ilhabela, um local que já citei aqui por várias vezes, por ter sido nossa última moradia com casa fixa.Sendo assim, posso falar com categoria sobre o espaço! Este sim, é um espaço que atrai muitos nomades digitais ou empresarios que buscam a tranquilidade da cidade pequena, o contato com o mar e o fácil acesso à São Paulo ja que as estradas hoje em dia São bastante confiáveis.
Para quem quer morar por lá, vale lembrar que estamos falando de uma ilha e a sobrevivência economica da cidade depende quase que toda do turismo, sendo assim, a maioria das pessoas vive da sazonalidade do turismo e de cargos públicos, conquistados através de concursos. É claro que a cidade está crescendo e muitas outras possibilidades de trabalho e também de espaço para o trabalho autônomo vão se abrindo.
Porém o que vemos bastante são pessoas que têm o sustento em São Paulo ou de forma digital, e acabam migrando para morar por lá. Como ficamos rodando nos últimos quatorze meses e moramos seis meses em São Sebastião antes de iniciar nossa viagem, ficamos quase dois anos sem ir à Ilha e podemos dizer que a Ilha já não é mais a mesma que deixamos dois anos atrás. O fluxo de carros e pessoas aumentou significativamente, o mesmo podemos dizer do comércio, que hoje conta com grandes estabelecimentos comerciais, tendo chegado até redes de supermercado e farmácias maiores.

Nós vivemos em uma Ilha ainda não muito desbravada, a Ilha que conhecemos há cinco anos atrás não é de fato a mesma ilha que encontramos agora.

Porém, ao meu ver não tem preço viver em um local que você anda por vistas deslumbrantes e percorre a orla para fazer as suas atividades cotidianas, e isso desestressa qualquer um e torna a vida bem mais leve.

A qualidade de vida é encantadora, o acesso a cultura e esporte é sem igual. A limpeza e organização da cidade nem se fala.

Para o turismo, se você está com mais tempo, vale sem dúvidas fazer a trilha do Bonete que são 12 quilômetros de pura diversão e suspiros diante de tanta beleza.

No que se refere às praias, pra quem gosta de badalação o curral está de bom tamanho, pra quem gosta de calmaria eu ficaria na praia do Pinto, do Arrozal ou Barreiros.
Uma outra característica marcante da Ilha é que a sensação é de que, por ali, juntaram-se pessoas altamente interessantes e interessadas em fazer e ter uma vida diferente e alternativa. É incrível o nível de pessoas bacanas que encontramos pelo caminho e a peculiaridade dos estabelecimentos na cidade, tanto no que se refere, a terapias alternativas, educação e gastronomia.

No episódio 19 -Nomadismo e a educação dos filhos – falei um pouco sobre a educação de nossos filhos no Instituto TiÊ. Se alguém quiser mais informações só pedir que posso passar.

Enfim quis trazer aqui uma ideia que temos acerca do nosso estado natal.

Ouça o PODCAST desse texto

compartilhe essa ideia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

escute o We Go

We Go Rompendo Barreiras é um projeto de experiências compartilhadas a partir da vivência de uma família nômade, que vendeu tudo e saiu viajando pelo Brasil.

A jornada seguiu inicialmente sem muito planejamento. E foi com a cara e a coragem que resolveram viajar trabalhando em lugares diferentes. Passam a maior parte do tempo trabalhando, estudando e se desenvolvendo intelectualmente.