facebook

Nômade na estrada: com carro próprio ou alugado?

Talvez esse seja um assunto bem polêmico entre os nômades “motorizados”, mas já adianto que o tema vai se desenvolver de acordo com o perfil e o planejamento de cada um, isso dentro da sua jornada nômade.

A nossa jornada começou com o desprendimento das coisas materiais, como você já deve ter ouvido em episódios anteriores, senão, corre lá e ouça.
E quando falamos sobre o desprendimento de bens materiais, isso envolve também o carro. E no lastro do desprendimento desse carro foram as contas com: seguro, manutenções periódicas, troca de óleo, pneu e imprevistos. E quem tem carro sabe que imprevisto é o que não falta.

Nossa decisão inicialmente, antes de pensarmos em viajar por aí, foi o fato de que, com o carro alugado, além de percebermos mais vantagens quanto a manutenção e custos, uma coisa que pesou foi que, em meses que não viajamos ficávamos com o carro mais barato das categorias, quando sabíamos que andaríamos mais quilômetros alugamos um carro melhor, e quando não utilizamos o carro para muitas coisas simplesmente ficávamos sem o carro e assim, sem nenhum custo com automóveis.
Já para a viagem entendemos que alugando carro teríamos algumas vantagens.

Sempre quando falamos que somos nômades as pessoas de imediato nos perguntam se estamos de motorhome, pois esta é a cultura pré existente. As pessoas costumam pensar fora da caixa e imaginar que o que fazemos é alterar de lugar os nossos custos com transporte e moradia. Como não temos contrato de aluguel e nem parcela de casa, conseguimos com esta categoria de cota pagar o aluguel pelo mundo. E a mesma coisa acontece com o carro.

Carro alugado
Viajamos com veículos alugados através da Localiza. Nós decidimos utilizar carros alugados porque, primeiramente, após os itens citados acima, nossa ideia não era neste momento adquirir uma dívida em parcelas de carro, desta forma pensamos também que, como estaríamos viajando seria interessante ter a possibilidade de trocar de carro, caso tivéssemos problemas com o veículo no meio do caminho. Escolhemos a Localiza , pois sabemos que esta tem lojas no Brasil quase que todo e apesar das outras locadoras também estarem crescendo, já éramos clientes da Localiza, o que nos trouxe certa confiança na prestação de serviço e além de termos pontos fidelidade.
Como cruzamos boa parte da costa brasileira, ou seja de São Paulo até o nordeste, acreditamos que consumiria muito de um carro próprio: peças, pneu etc. E quando o Sr. Imprevisto surgisse? Teríamos que acionar o seguro ou caçar um mecânico. O que geralmente é um pouco arriscado. Viajar com carro alugado no final das contas é algo mais vantajoso. No caso do carro alugado, nós só nos preocupamos com o combustível.

Nossos gastos com carro alugado limitam-se ao combustível e o pagamento do aluguel. Uma boa vantagem foi quando o carro teve de fazer a revisão. Onde trocaram peças essenciais do carro, bem como os pneus e o nosso custo foi só o combustível e tempo para levar o carro na revisão. Isto aconteceu em Fortaleza e foi bem tranquilo.

 

Carro próprio
Viver o nomadismo com carro próprio vem com alguns gastos de manutenção que você deve realizar a cada X Km rodados: troca dos pneus, óleo e demais peças. Você ainda precisa manter um bom seguro do automóvel, que atenda você e a terceiros. E ainda temos o IPVA. Sem contar que vai chegar um momento em que você precisará vender o carro. O que geralmente não é rápido e nem tão simples. E depois todo o processo se repete para a compra de um veículo novo: mais gastos com regularização, emplacamento e despachante.

O futuro dos veículos
Já existem empresas e locadoras que disponibilizam o aluguel de carros como uma assinatura. Você escolhe o veículo, a quilometragem e o tipo de seguro.

As montadoras de veículos também apostam nessa modalidade e trouxeram para o Brasil o formato de assinaturas. Esse serviço, que começou inicialmente sendo ofertado pelas locadoras, já é oferecido no Brasil através de sete fabricantes: Fiat, Renault, Audi, Ford, Jeep, Volkswagen e Nissan. A ideia é que o modelo de assinatura seja tão simples quanto usar os serviços da Netflix, por exemplo. Essas empresas lançaram os seus programas de assinatura com modelos bem semelhantes onde o preço da assinatura varia de acordo com os planos, que envolve prazo de assinatura (de um ou três anos), a quilometragem mensal e o modelo do veículo.
A justificativa para o investirem em um modelo de negócios baseado em assinaturas foi a percepção de que o público consumidor não quer mais perder tanto tempo e dinheiro com taxas, impostos e toda a burocracia para adquirir um veículo. Sem contar que é um investimento que só perde valor com o tempo e depois gera mais dor de cabeça para vender o carro.

As desvantagens
Percebemos que as locadoras estão enfrentando certas dificuldades de terem carros novos. Por conta da pandemia as montadoras estão tendo dificuldades em entregar os carros às locadoras no tempo correto, e assim as locadoras estão ficando com carros mais rodados. Pudemos comprovar isto em Fortaleza, onde tivemos o problema na suspensão de um carro e fomos para uma das lojas trocá-lo.
Porem ao chegar lá tivemos a noticia de que um carro como um nosso só teríamos com quilometragem acima da que estávamos com o carro, ainda assim escolhemos um carro que estivesse com os pneus novos, porém este carro também apresentou barulhos, e problemas com a suspensão. E, desta forma, tivemos que trocar novamente, e sair de viagem com um carro mais rodado do que o que estávamos. Tudo bem, entendemos os problemas decorrentes da pandemia, mas esperávamos não ter de enfrentar este percalço já que uma das vantagens da locação é sempre estarmos contando com carros novos. Dentro do grupo oferecido pelas locadoras existem vários modelos o que não fica claro na hora da escolha se terá exatamente o carro que vc precisa daquele grupo , por exemplo no nosso caso o ecosport (único carro com bagageiro completo com as travessas), ou se você precisar de algum carro 4×4 e dentro daquele grupo nem todos são.

Ouça o PODCAST desse texto

compartilhe essa ideia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

escute o We Go